Primeira Parte | Mónica Jardim

Mónica Jardim, 41 anos, treze deles dedicados à televisão. À minha frente, mais do que a apresentadora de televisão, tinha a rapariga, a Mulher. A morenaça simpática, de riso fácil e, provavelmente, um dos rostos mais queridos que encontrei neste meio. A Mónica sempre me fascinou e eu nunca lhe disse.

 

Com uma carreira consistente e duradoura, é uma aposta certeira por parte da TVI, desde o primeiro dia. E se marca golos esta miúda…! Sempre endiabrada e com uma energia para lá de positiva para quem com ela trabalha, desde muito cedo, aprendeu a lidar com a exposição mediática que o meio televisivo acarreta. Mas o que sempre me surpreendeu foi a forma como ela guardava a sua privacidade. O seu íntimo. A sua família e as pessoas que lhe são próximas. Perguntei-me várias vezes: “como será que mantém uma carreira de sucesso, sem lhe sabermos pormenores da sua vida íntima? “.

Aos meus olhos, a Mónica é quem consegue fazê-lo melhor. A sua vida televisiva termina quando a sua vida  privada começa. E é assim que tem de ser.

Espreitei Pela Fechadura não para saber o que esconde, mas para saber como o faz.