Viajar é, para muitos, uma aspiração… e algo que é essencial. Se a verdade é que sempre foi uma actividade preciosa, nos últimos anos (quer seja pelas tendências das novas tecnologias, as fotos partilhadas aqui, os vídeos vistos ali, entre outros factores) tornou-se quase como um bem fundamental para muitas das pessoas que têm agora 20, 30 ou 40 anos. A informação disponível sobre as cidades, os roteiros e os segredos já não tão secretos triplicou e ninguém fica indiferente ao novo destino turístico que sempre vai surgindo no horizonte. E se há algo que também mudou cá, nos últimos anos, foi o crescente interesse no turismo dentro do nosso país – muito por culpa dos prémios infindáveis que temos recebido, um pouco por todo o lado.

Sonhos à parte, a dura realidade é que, pelo menos por enquanto, estamos confinados a quatro paredes (e pouco mais). Existe o caminhar do quarto para a cozinha, e daí para a sala, e o aproveitar da ida ao supermercado para fazer exercício. Resta-nos imaginar como será assim que pudermos ter mais alguma liberdade e não deixarmos de pensar nos destinos que mais queremos visitar… cá dentro, claro!

Por aqui, já a espreitar pela fechadura, seleccionámos 5 destinos que conhecemos, achamos imperdíveis e inesperados. E por tudo isto… aos quais queremos sempre regressar!

DESTINOS IMPERDÍVEIS… CÁ DENTRO

PRAIA DA SALEMA

É talvez um dos segredos mais bem guardados do Algarve. Na década de 60 e 70 era maioritariamente visitada por alemães e holandeses e ao longo destes anos manteve-se sempre low profile, sem as grandes confusões de outras zonas. Esta localidade da freguesia de Budens, concelho de Vila do Bispo, é um local a não perder: pequena, recatada, e também por isso única. O centro resume-se a 3 ruas, todas elas paralelas ao mar. Salema, vila piscatória, oferece-nos inúmeras pequenas embarcações junto à praia, que podemos ver partir e chegar do oceano, as ruínas de uma vila romana e, pasme-se, é ainda possível ver pegadas de dinossauros, nas paredes rochosas da arriba!

MÉRTOLA

Dentro do distrito de Beja, situada numa elevação do rio Guadiana, com este a passar junto ao centro histórico, está Mértola. Tanto o castelo, como a Igreja de Nossa Senhora da Anunciação e o campo arqueológico são de passagem obrigatória. Clima mediterrâneo, quente e temperado, a vila de Mértola é bastante antiga, com vestígios que remontam ao neolítico. Também a presença de romanos é bastante visível, tanto no centro como na Mina de São Domingos – este é outro lugar imperdível no concelho, com a sua praia fluvial e o antigo caminho-de-ferro, de 15km, que acaba no Pomarão, e que faz fronteira com Espanha.

ERICEIRA

É uma vila muito antiga, com características especiais e que tão bem representam o “fado” português. Elevada, com a praia a estender-se por baixo e todo o oceano a perder-se de vista, tem fortes ligações ao mar: seja pela pesca, pelo surf ou por tudo o que representa. O centro histórico é bastante pitoresco, com inúmeros restaurantes e comércio. É também na zona que encontramos as tão reconhecidas praias da Ribeira d’Ilhas (reserva mundial de surf) e dos Coxos, em Ribamar. A 35km de Lisboa, a Ericeira é uma viagem curta para muitos. A não perder!

TOMAR

Cidade ribatejana com forte tradição, quer seja pelos seus edifícios históricos ou pela Festa dos Tabuleiros. São inúmeros os monumentos que se podem visitar, dos quais se destacam o Convento de Cristo, declarado Património Mundial, e a Igreja de Santa Maria dos Olivais (contém os restos mortais do mestre Templário e fundador da cidade – Gualdim Pais). É reconhecida pela forte produção de figo e azeite e é sempre especial visitar o centro da cidade, atravessado pelo rio Nabão, que é tão bonito quanto intemporal. Desde o cine-teatro, que recentemente foi renovado, ao Café Paraíso – com uma decoração única e que reúne histórias de diferentes gerações – muitos são os locais que fazem desta cidade um lugar tão especial.

GUIMARÃES

O berço de Portugal, onde nasceu aquele que viria a ser o primeiro rei do país, é local de passagem obrigatória. Esta cidade histórica e com papel crucial na formação de Portugal, que conta com mais de um milénio desde a sua formação, é por isso e muito mais uma das mais importantes cidades do país. O centro histórico, considerado Património Cultural da Humanidade, é de uma beleza indiscutível e torna-se fácil perdermo-nos entre ruas e ruelas, só a admirar e respirar toda aquela herança muito patente na arquitectura sobretudo da zona mais antiga. Quer seja a olhar as infindáveis janelas, portas e varandas únicas, ou a esquecermo-nos das horas numa das muitas esplanadas do centro, a cidade tem muito para oferecer. Apesar de todo este peso de tradição, a cidade soube ajustar-se muito bem a um contexto mais actual, tendo sido nomeada Cidade Europeia da Cultura em 2012 e tornando-se, depois, Cidade Europeia do Desporto, já em 2013. De referir ainda que Guimarães foi eleita como um dos 41 locais a ser visitado, em 2011, pelo prestigiado New York Times.