Durante os últimos dias lemos e ouvimos um pouco por toda a parte notícias das enormes dificuldades pelas quais as várias indústrias estão a passar. Escusado será dizer que uma delas é a da cultura, até porque todos os espetáculos ao vivo previstos para o último mês e meio foram cancelados – prevendo-se que continuem a ser durante pelo menos o próximo mês. Mas a COVID-19 nem só os espectáculos ao vivo impossibilitou. Condicionou muitas outras produções audiovisuais que estavam na calha para avançar. Isto significa um prejuízo incalculável para um sector que, em Portugal, já normalmente sofre e tem muitas dificuldades para subsistir. Os apoios do estado são fundamentais mas as regras para os receber são apertadas e o investimento total é… muito baixo face às necessidades.

A BOA NOTÍCIA!

No entanto o dia de hoje traz-nos esta notícia animadora: a Netflix acaba de lançar, em conjunto com o Instituto do Cinema e do Audiovisual, um concurso que dará prémios a argumentistas a residir em Portugal. O anúncio foi feito esta manhã pelo ICA, que em comunicado diz que o objectivo é: “impulsionar a produção audiovisual portuguesa”. Neste concurso serão premiados os dez melhores argumentos originais, que podem ser ficcionais ou documentários baseados em histórias verídicas. Os prémios destinam-se a projectos em fase de escrita e desenvolvimento que não estejam ainda na fase de rodagem. Estão habilitados a estes prémios todos os argumentistas e autores residentes em Portugal.

As candidaturas podem começar a ser enviadas amanhã, dia 30 de Abril, e estão abertas até ao dia 1 de Junho. Todos os projectos submetidos a concurso serão analisados, numa primeira fase, por um júri composto por Verónica Fernández (directora de conteúdos da Netflix), Luis Proença (director-adjunto de comunicação da Fundação Calouste Gulbenkian), Jorge Paixão da Costa (realizador), Possidónio Cachapa (realizador e argumentista) e ainda pela crítica literária Isabel lucas. Este júri identificará os dez melhores projectos e depois caberá à Netflix escolher os cinco melhores, que serão premiados com 25 mil euros. Podem ler aqui todos os detalhes do concurso.

O prémio de 25 mil euros vale o esforço mas o retorno pode ser muito maior: apesar de não ser garantido, a Netflix pode optar por investir ainda mais num ou vários projectos e torná-los realidade. Parece-nos uma óptima oportunidade para todos aqueles que sempre sonharam poder testar as suas capacidades de escrita ou que simplesmente precisam de investimento. E vem em boa altura… porque precisamos mais do que nunca de investir na cultura feita em Portugal.