Esta não foi uma manhã de sábado normal. Não foi uma daquelas manhãs de junho em que o sol e o calor nos animam e nos oferecem a hipótese de fazermos mil e um planos para o fim-de-semana com o maior entusiasmo. O início do dia foi triste, com a notícia do falecimento de Pedro Lima, actor de 49 anos que ao início da manhã foi encontrado já sem vida na Praia do Abano, em Cascais. A causa da morte ainda é desconhecida, e sabe-se apenas – segundo a Polícia Marítima – que se terá despedido de alguns amigos durante a madrugada, através de SMS.

Um pouco por todo o lado na televisão e nas redes sociais se vêem agora mensagens que confirmam aquilo que todos achávamos do Pedro mesmo que não o conhecêssemos pessoalmente: era um Homem sério, extremamente afável e dedicado a todos os que o rodeavam. Só alguém muito especial, como ele, pode ter esta capacidade de criar laços verdadeiros e duradouros com muitos daqueles com quem se cruzava profissionalmente.

O choque ainda não passou. Ainda não consigo processar que o Pedro deixou de estar fisicamente connosco. São muitas as memórias de momentos em que as nossas vidas profissionais se cruzaram nos últimos anos e que agora valorizo mais do que nunca. Relembro com especial carinho muitas conversas que tivemos sobre este “meio da televisão” e de concordarmos que nele seríamos todos muito mais felizes quanto mais unidos estivéssemos. E mais importante ainda, as recorrentes conversas sobre a importância vital da família, nas quais percebi que a sua devoção à sua era única e comovente. O Pedro era daquelas (raras) pessoas com quem falávamos e retirávamos sempre algo de positivo, mesmo que no momento tudo parecesse mais cinzento do que branco. Obrigado Pedro. Muito obrigado.

João Montez.

À família do Pedro, toda a equipa do Pela Fechadura envia as mais sentidas condolências.