Todos sentimos aquela dor de não saber o que começar a ver quando entramos na Netflix. No meio de milhares de conteúdos, alguns ficam naturalmente para trás na nossa atenção: quer seja porque não fazem parte das trends da plataforma, ou porque não têm um elenco com grande notoriedade, entre outros motivos. Mas a verdade é que isso não faz desses conteúdos menos interessantes – aliás, para dizer a verdade, muitos deles até são bem superiores a outros sobre os quais falamos mais. Por isso decidimos fazer a lista dos 5 conteúdos disponíveis na Netflix que para nós são dos mais subvalorizados.

THE END OF THE FUCKING WORLD

Numa palavra: diferente. Esta série, lançada na Netflix em 2017, pode ser considerada de certa forma “freak” por muita gente. Mas vale a pena entrar neste mundo quase paralelo em que vivem duas personagens encantadoras – num sentido transformado do termo. Uma excelente notícia para todos os que à partida possam desconfiar desta sugestão é que cada episódio tem cerca de 20 minutos: o que faz com que numa hora vejam três episódios e percebam, rapidamente, que vale a pena ir até ao fim.

CHEF’S TABLE

Apesar de ser um sucesso da plataforma, sentimos que as gerações mais novas não dão a “Chef’s Table” a oportunidade que merece. É um conteúdo dos que melhor personifica a capacidade da Netflix de produzir documentários completamente diferentes, com uma vertente fotográfica muito rica: a história destes chefs fascinantes é o principio basilar de cada episódio, mas a forma romântica e transformadora como são filmados faz deles verdadeiras obras primas. E apesar de poder ser vista numa lógica não-linear, aconselhamos que comecem a série vendo mesmo o primeiro – que se dedica a contar a história de Massimo Bottura, o italiano responsável por um dos melhores restaurantes do mundo da actualidade.

AMERICAN CRIME STORY: THE PEOPLE VS O.J.SIMPSON

A história vale por si: é incrível o que se passou com O.J.Simpson e que nunca ninguém esqueceu. Mas a série acrescenta realmente valor ao que todos já sabíamos – e muito pela interpretação de Cuba Gooding Jr, que interpreta O.J. O mais incrível é mesmo o facto de todos já conhecermos relativamente bem o desfecho da série mas mesmo assim ficarmos presos a ver como tudo aconteceu – com detalhes que não sabíamos e nos deixam perplexos. Vale meeesmo cada minuto!

VIS-A-VIS

Ok, sejamos francos: não é uma série de excelência. Mas consideramos “Vis-a-Vis” subvalorizada sobretudo porque vive na sombra de “La Casa de Papel”, por ter sido lançada após este enorme sucesso, porque é falada em castelhano e porque tem também uma história que se relaciona com estar preso dentro de um espaço. Só que Vis-a-vis é mais do que isso: é uma história totalmente diferente e com suspense para dar e vender: acreditem, se virem os primeiros episódios, só vão parar no final do último. Ah, e chamamos a atenção para a personagem Zulema (interpretada por Najwa Nimri, que também é a Inspectora Sierra em La Casa de Papel 4) – é tão má que é impossível não gostar.

WHEN THEY SEE US

É uma das séries preferidas da equipa do Pela Fechadura, e o contexto actual (com os recentes problemas sentidos sobretudo nos Estados Unidos da América) quase que devia tornar obrigatória a visualização. “When they see us” é brilhante pelas interpretações de cortar a respiração de quase todos os personagens centrais da história, e pelo texto que nos faz voar até àquela realidade. Sentimo-nos tão dentro daqueles momentos que, logo no primeiro episódio, sentimos um nó no estômago que só desaparece no final – já depois de se ter intensificado muito no quarto episódio…! A série teve alguma atenção no ano passado, em 2019, quando foi lançada, mas não aquela que merece. É um must-watch para toda a gente!