Créditos: AS.COM

Este ficará para sempre marcado como o ano em que quase tudo foi diferente. A notícia de hoje dá conta de que nem Cristiano Ronaldo nem Lionel Messi ganharão o Ballon D’Or, troféu entregue pela revista francesa France Football ao melhor jogador do mundo – depois de uma extensa votação que contempla a opinião de jornalistas de referência, capitães e seleccionadores nacionais.

É oficial, a revista France Football cancelou a entrega do troféu individual mais relevante do universo futebolístico referente ao ano de 2020. É a primeira vez que o Ballon D’Or não será atribuído desde 1956 e o cancelamento deve-se ao facto de os franceses considerarem que o contexto criado pela pandemia do novo coronavírus pode proporcionar alguma injustiça – o que faz sentido se pensarmos que nem todos os campeonatos foram retomados da mesma forma (alguns nem foram, de todo, como é o caso de “Ligue 1”, o campeonato nacional francês) e que competições que normalmente contribuem muito para a atribuição deste prémio viram o seu modelo competitivo alterado. A Liga dos Campeões, que se disputará em Lisboa, é um dos melhores exemplos disso mesmo.

A LUTA CONTINUA…

Assim, nem Ronaldo poderá empatar Messi, nem este poderá distanciar-se de Ronaldo. Actualmente o nosso craque conta com 5 bolas de ouro enquanto que o argentino tem 6. Esta luta absolutamente épica pelo maior número de bolas de ouro conquistadas por um único jogador em toda a história vai assim manter-se taco a taco, com ambos os jogadores a poderem preparar-se da melhor forma para mais um ano, 2021, que poderá ser decisivo para o desfecho final.

Créditos: Getty Images
Créditos: REUTERS | Christian Hartmann

Aqui deste lado da ‘Fechadura, dizemos sempre entre nós que o mais incrível desta luta é mesmo o facto de podermos estar cá para vê-la. Desde 2007 (!) que só Cristiano Ronaldo e Lionel Messi venceram o troféu – com excepção da vitória no mínimo “polémica” de Luka Modric em 2018 – e isso faz com que estejamos a viver uma era verdadeiramente ímpar, em que, por coincidência, estão no activo ao mesmo tempo os dois melhores jogadores de futebol de todo o sempre.