Este é um daqueles documentários que nos faz parar e pensar. Se é verdade que já muita gente tem noção de que a nossa informação pessoal é utilizada pelas gigantes empresas que dominam o mundo web – Google, Facebook, Instagram, YouTube, entre outros – também o é que pouca gente tinha noção do nível de manipulação e influência que estas marcas parecem conseguir ter sobre nós. Até a Netflix lançar este novo conteúdo…!

“O DILEMA DAS REDES SOCIAIS”

Neste documentário a Netflix escolheu uma narrativa diferente, e esse é um dos pontos mais diferenciadores. Para além dos testemunhos reais, em primeira mão, há também, intercalada, uma representação ficcional de vários temas abordados – com actores que interpretam personagens e retratam experiências que todos conhecemos ou já presenciámos. O outro factor absolutamente distintivo é que os testemunhos reais são dados por quem já esteve do outro lado, quem contribuiu de alguma forma para a criação desta máquina imparável que são as redes sociais. E desenganem-se, não estamos a falar de colaboradores que descobriram coisas de que não gostaram, mas sim de vice-presidentes e directores sectoriais, entre outros cargos relevantes.

NÓS SOMOS O PRODUTO

Esta é uma das frases fortes e que resume bem tudo o que é falado em torno do mega negócio que são as redes sociais: “se o produto que usas não tem preço, então o produto és tu”.

Não querendo levantar muito o pano sobre os temas abordados – porque vale mesmo a pena que vejam, dos 8 ao 80, e com toda a atenção – podemos garantir que tudo é explicado até ao mais ínfimo pormenor. Ficamos a perceber quais dos nossos dados mais lhes interessam, como os analisam e como fazem dinheiro a partir deles! Contam-nos também como todas estas acções, desenhadas e pensadas por pessoas, são executadas por computadores com inteligência artificial.

DROGA, ANSIEDADE, DEPRESSÃO E… FAKE NEWS

Por muito distantes que estas palavras possam parecer da nossa experiência de utilização das redes sociais, é dado adquirido que a dependência e influência que exercem sobre nós pode mesmo resultar nestes estados mentais. E o exemplo relatado dos Estados Unidos da América, comprovado com estatísticas reais sobre suicido e auto-mutilação, por exemplo,  é assustador.

Também o nascimento das fake news é abordado, percebendo-se que há muito lucro com a proliferação de informação falsa.

Claro que nem tudo é mau e que as redes sociais também trouxeram mudança positiva ao nosso mundo. Mas é preciso saber o que estamos a dar em troca. E isso está muitíssimo bem contado neste documentário.