João Mário, Todibo, Felipe Anderson e Marko Grujic chegaram aos grandes portugueses no último dia de mercado e são reforços que prometem muita qualidade. Bem feitas as contas, o Benfica foi quem gastou mais, o Porto quem mais encaixou em vendas, o Sporting dos clubes que mais mudou o plantel desde a época passada e o Sporting de Braga o que fechou o plantel mais cedo. Agora com o mercado fechado, vamos analisar as principais forças e fraquezas de cada uma destas equipas!

Todos os apaixonados por futebol vibram especialmente com este dia. Passamos horas a ouvir rádio e a ver na televisão notícias ao minuto sobre o que se vai passando e fazemos ainda mais vezes refresh nas redes sociais para tentar perceber se há alguma novidade que nos tenha escapado nos últimos dez minutos. O dia de ontem, o último de mercado para chegarem jogadores para Portugal, foi bem animado e trouxe muito talento até alguns clubes portugueses. Agora, que os planteis estão fechados para entradas, podemos analisar mais ao pormenor os das equipas favoritas aos primeiros lugares. Vamos a isso?!

FUTEBOL CLUBE DO PORTO

Créditos: Pedro Granadeiro / Global Imagens

O campeão nacional em título recebeu no último dia três reforços importantes – que se anteveem como titulares prováveis nos jogos mais exigentes. Grujic cobre a saída de Danilo Pereira para o PSG, Felipe Anderson vem trazer criatividade ao jogo ofensivo da equipa, algo que Sérgio Conceição já tinha mostrado querer, e Malang Sarr vem reforçar as opções disponíveis para o centro da defesa.

Assim, depois das saídas importantes de Alex Telles, Danilo Pereira, Tiquinho Soares e até Fábio Silva (pelo potencial e pelos valores em causa), e das entradas de Mehdi Taremi, Toni Martinez, Malang Sarr, Felipe Anderson, Marko Grujic e Evanilson, entre outros, podemos dizer que o plantel tem claramente mais qualidade no ataque, mais soluções no meio-campo e um desafio grande na defesa – porque substituir Alex Telles, dos melhores jogadores do campeonato com números impressionantes a defender mas principalmente a atacar, não será nada fácil.

Será que um plantel mais forte vai significar melhores exibições e resultados?! Veremos…!

SPORT LISBOA E BENFICA

Créditos: slbenfica.pt

Para analisar esta nova equipa do Benfica (pode dizer-se assim) não podemos ignorar o óbvio: o clube gastou 98,5 milhões de euros em reforços! No último dia chegou Todibo, vindo do Barcelona, que se juntou a outros reforços de peso como Jan Vertonghen, Éverton “Cebolinha”, Luca Waldschmidt, Darwin Núñez, Pedrinho e Nicolás Otamendi.

O plantel parece significativamente mais forte face ao ano passado, tendo em conta a elevada qualidade individual de todos estes reforços – sendo a maioria deles titulares de algumas das mais fortes selecções nacionais mundiais. A grande questão é se Jorge Jesus consegue pegar nesta nova equipa e moldá-la para jogarem o seu futebol, aquele que apaixonou os brasileiros e o resto do mundo na época passada no Flamengo. Só o tempo o dirá, mas parece-nos claramente que há condições para isso e que este plantel do Benfica é o mais forte dos últimos 3 anos.

SPORTING CLUBE DE PORTUGAL

Créditos: sporting.pt

Os últimos mercados de transferências do Sporting tinham sido desastrosos. Basta lembrar que no último dia do mercado de verão de 2019 chegaram por empréstimo Jesé, Bolasie e Fernando – nenhum deles teve impacto real na equipa e os seus empréstimos custaram valores significativos. Voltando ao passado mais recente, ou seja ontem, é seguro dizer que este foi um mercado muuuito positivo para o clube. Trouxe de volta João Mário – que passa a ser de longe o melhor jogador da equipa – e as contratações de Pedro Gonçalves, Nuno Santos, Adán, Feddal e o empréstimo de Pedro Porro, assim como o regresso do empréstimo de João Palhinha, prometem acrescentar qualidade ao onze titular, algo que era a maior urgência claramente.

O Sporting terá agora uma equipa com mais qualidade e simultaneamente um plantel mais homogéneo no que toca à compreensão das ideias de jogo do treinador Ruben Amorim. Falta perceber se no ataque haverá quem tenha a capacidade de fazer muitos golos (até agora não é evidente que haja), e se no centro da defesa haverá a estabilidade necessária para torna-la menos permeável.

SPORTING CLUBE DE BRAGA

Créditos: record.pt

Nicolás Gaitán é jogador do Braga. Só esta contratação podia resumir o trabalho do Braga neste mercado: cirúrgico e de muita qualidade. Contratou mais cedo que todos os outros clubes e muitas das peças que acrescentou à equipa vieram a custo zero, por terem terminado contratos com os clubes onde jogavam – disso são exemplos o próprio Gaitán, assim como o avançando Guilherme Schettine ou André Castro.

Resistiu até ao fim à venda de Paulinho, claramente um dos melhores jogadores da equipa – e referência ofensiva indiscutível – e apesar de ter “perdido” o talento incrível de Francisco Trincão para o Barcelona, reforçou-se com Iuri Medeiros, um jogador com uma qualidade técnica inegável e que pode ter no Braga condições para relançar a carreira ao mais alto nível.

Se nos perguntarem se este plantel do Braga pode terminar em terceiro lugar… dizemos que sim, claro que sim.