Sempre foi, por estes lados, uma paixão cheia de desejo. E sim, estamos mesmo a falar de cinema! Neste que é o dia mundial da sétima arte, olhamos para a última década e deixamos dez sugestões daqueles que são, para nós, dos melhores filmes feitos neste período de tempo – por diferentes razões e independentemente do género, tipo de narrativa e época. Todos eles filmes que estão nas nossas listas de “absolutamente obrigatório”!

UMA PANDEMIA DEPOIS…

Imaginem este ano de 2020 sem filmes nem séries. Impossível, certo? Se a cultura já era importante nas nossas vidas mas provavelmente a necessidade estava mais escondida… agora tornou-se bastante óbvio o quanto precisamos dela e dos produtos que surgem dela para nos entreter, emocionar e acima de tudo reflectir.

Agora, neste Dia Mundial do Cinema – e com um “novo confinamento” à vista – faz mais do que nunca sentido relembrar alguns dos filmes que mais marcaram os últimos dez anos e que são absolutamente a não perder. Sem deixar escapar qualquer spoiler, vamos descrevê-los com uma ou duas frases e deixar-vos a pontuação que têm no portal IMDB (nem sempre absolutamente justo mas universal).

12 Years A Slave (2013)

IMDB: 8.1

Mais do que a história de um escravo, é um retrato com uma cinematografia impressionante e que nos mostra da forma mais violenta e, infelizmente, real, aquilo que era a escravatura vivida nos Estados Unidos da América e que tanta gente vitimou ao longo de demasiados anos.

Dallas Buyers Club (2013)

IMDB: 8.0

Um filme que retrata o mundo real das drogas e que nos mostra, sem efeitos especiais, como alguém pode destruir-se completamente com elas – é o filme que dá o tão merecido Oscar a Matthew McConaghuey por ter interpretado a personagem de forma tão nua e crua, ao ponto de sentirmos no nosso corpo todas as emoções pelas quais o personagem navega.

Boyhood (2014)

IMDB: 7.9

É um hino ao cinema e a prova viva de que é sempre possível fazer diferente e melhor. Conta a história de uma família “normal” que em tudo tem a ver tantas outras que nos são próximas, e foi filmado ao longo de 12 anos (!), fazendo com que seja possível acompanhar de forma única e assustadoramente real a vida dos personagens – é um filme longo mas que vale cada segundo pela forma como nos faz sentir que vivemos 12 anos junto daquelas pessoas.

Birdman (2014)

IMDB: 7.7

Michael Keaton, no papel de uma estrela de cinema em espiral descendente e de negação, guia-nos por uma história contada de uma forma completamente inovadora e que, em 2014, surpreendeu tudo e todos: o recurso a planos-sequência que centram a acção neste personagem principal e nas suas emoções e pensamentos faz deste filme absolutamente distinto ainda que haja muito mais para apreciar.

The Grand Budapest Hotel (2014)

IMDB: 8.1

Uma obra criada por Wes Anderson. No limite podíamos descrever este filme apenas com esta primeira frase, mas vamos completar dizendo que é um filme que nos convence com uma estética absolutamente cativante e com uma história que nos prende e nos mostra que um filme pode ser comédia e drama ao mesmo tempo.

The Revenant (2015)

IMDB: 8.0

Muitos conhecerão este filme por ser aquele que, finalmente, deu um Oscar a Leonardo DiCaprio -- e sim, o Oscar foi justo e é mais do que merecido que o filme seja recordado por essa interpretação monstruosa. Mas a verdade é que há mais para ver aqui… nomeadamente a interpretação estrondosa de Tom Hardy e uma fotografia épica, que não deixa ninguém indiferente, e que foi dificílima de captar pelas condições climatéricas muito adversas que a equipa encontrou.

Call me By Your Name (2017)

IMDB: 7.9

Um verdadeiro romance, sem clichets, vivido na charmosa zona da Lombardia (Itália) e baseado numa história tremendamente humana e soberbamente interpretada não só mas principalmente pelo muito jovem Timotheé Chalamet. A segunda razão para o verem é a banda sonora – provavelmente das melhores que vão ouvir na vida pela sua sonoridade, elasticidade e integração na história.

Coco (2017)

IMDB: 8.4

É um filme da Disney que muito mais do que nos falar do Dia de Los Muertos celebrado pelos Mexicanos, nos fala de como gerir o luto da morte daqueles que mais amamos. Está muito longe de ser um filme para crianças, porque na verdade nos ensina a todos a lidar com as nossas recordações e a amar para além da vida.

Roma (2018)

IMDB: 7.7

Obra de autor de Alfonso Cuarón que nos mostra da forma mais simples que nem todas as histórias contadas em filme têm necessariamente de ter um ritmo que, na verdade, nenhuma história real tem. É um filme a preto e branco e que deixa à vista como se manifesta o amor mais puro – o do dia-a-dia, sem pretensões.

Black Panther (2018)

IMDB: 7.3

Vai ficar marcado para sempre na história como o primeiro filme da Marvel com um super-herói negro mas merece mais crédito do que isso. Acrescentamos nós que nos introduz a um super-herói diferente de todos os outros e com uma narrativa que tem uma ligação muito diferente com a realidade face às que têm os outros bem mais antigos.