O anúncio tinha sido feito na quinta-feira pelo próprio Bruno Nogueira e por alguns dos convidados mais habituais. O bicho voltou, seis meses depois da última emissão do primeiro confinamento, e podemos garantir que não perdeu a essência. A adesão do público voltou a ser massiva e durante mais de duas horas ouvimos muitas histórias e ficamos a saber de novidades que provam que, de facto, o bicho vai continuar a mexer!

Às 23:00 em ponto lá estava disponível a emissão em directo, como aconteceu em tantas noites de que nos lembramos todos perfeitamente. Como também habitualmente acontece, vimos durante alguns minutos apenas a cadeira e a estante de livros do cenário caseiro. De seguida ouvimos o genérico (criado por Dillaz), até que às 23:06 lá apareceu o copo de vinho, acompanhado do próprio Bruno Nogueira, e de mais 80 mil pessoas a assistir! Foi tudo tão natural que nem pareceram ter passado seis meses desde o final da primeira temporada – naquele dia em que vivemos o Natal em Maio, lembram-se?!

AS DÚVIDAS

Nos últimos tempos muito se vinha especulando sobre se o “Como é que o bicho mexe” voltaria ao Instagram, ou se já só o poderíamos voltar a viver no formato televisivo que está a ser preparado para ser exibido na SIC. Bruno Nogueira foi rápido a colocar tudo em pratos limpos: o formato habitual regressa agora, com este “novo confinamento”, pelo menos nos dois próximos fins-de-semana – de sexta-feira a domingo inclusive. Já quanto à adaptação para televisão, Bruno confessou que as restrições originadas pela pandemia atrasaram a estreia.

Antes de partir para as habituais conversas, o monólogo centrou-se na situação actual que vivemos, com novas medidas restritivas, e nas muitas dúvidas que todos parecem ter sobre a sua eficácia. Uma conversa informal e em muitos momentos humorística – porque de facto na situação em que estamos, muitas vezes vale mais a pena rir do que lamentar!

OS CONVIDADOS E OS MELHORES MOMENTOS

A esta emissão não faltou nada nem ninguém. Nuno Markl foi o primeiro a ser chamado à conversa, como quase sempre, e de seguida ainda participaram Albano Jerónimo, Inês Aires Pereira, Ljubomir Stanisic, Jessica Athayde, Nuno Lopes, Beatriz Gosta, Salvador Martinha, João Manzarra, Bumba na Fofinha  e uma estreia absoluta – Joana Duarte. O convidado final, claro, foi Filipe Melo, que mais uma vez encantou ao piano.

Se não tiveram oportunidade de acompanhar ou querem relembrar, espreitem aqui a melhor frase/novidade de cada um dos convidados:

Nuno Markl – Finalmente voltou a encontrar o amor! E segundo o próprio o contributo de Bruno e do bicho foram determinantes: “(…) deste-me a estranha e inesperada oportunidade de ser eu, sem capas”.

Albano Jerónimo – Num registo teatral e cómico, apresentou-se com um utensílio médico na boca (utilizado pelos dentistas, que a mantem aberta e os dentes expostos) e declamou um poema de Bocage enquanto se babava epicamente!

Inês Aires Pereira – Com um penteado que lhe dava um ar de “empregada de escritório”, acabou por ajudar a levantar o tema que viria a ser conversado por todos os convidados até ao fim da emissão: a masturbação a pensar noutra pessoa, que não o parceiro actual, é traição?!

Ljubomir Stanisic – Vindo directamente dos telejornais da SIC e SIC Notícias – onde falou sobre a manifestação em que participou, em protesto contra a situação grave que vivem os empresários da restauração, hotelaria e turismo – Ljubo mostrou a sua nova jaleca, “vinda directamente da assembleia (da república)”, e que no fundo era um colete de forças.

Jessica Athayde – Ensonada como sempre, Jessica confessou que em menos de uma hora se tinha emocionado com Nuno Markl, deprimido com a situação relatada por Ljubo e sorrido muito com Inês Aires Pereira. No final acabou por fazer uma revelação bombástica: Inês Aires Pereira sentiu-se atraída pelo “Boxer”, personagem interpretada por Nuno Lopes na série “White Lines”.

Nuno Lopes – Recém chegado de muitas semanas a rodar o novo filme em que participa, Nuno esperava vir para Portugal e ter “alguma liberdade” – algo que não se confirmou. Noutro âmbito da conversa, defendeu juntamente com Bruno Nogueira a liberalização do pensamento em pessoas alheias durante a masturbação – para homens e mulheres, claro!

Beatriz Gosta – A sua gravidez foi o tema inicial de conversa. Até porque segundo a própria: “Não sei se (o bebé) não terá sido feito numa daquelas noites em que falámos como agora”, deixando ainda claro que este é um “filho do bicho”!

Salvador Martinha – Irradicado em zona desconhecida (não quis revelar), Salvador apresentou a Bruno, como sempre, os seus dilemas filosóficos – sobre temas como a morte e, claro, masturbação e fidelidade.

João Manzarra – Sobre este convidado perdemos a vontade de escrever o que quer que seja – dado que enquanto estamos aqui todos em recolher obrigatório, ele está há mais de 30 dias a viver num barco… nas Maldivas. Mostrou-nos o mar e, como tantas vezes, sugeriu contar uma história a Bruno e ele desinteressou-se e desligou a chamada.

Joana Duarte – Pode dizer-se que foi uma estreia em grande, verdadeiramente no espírito “sem barreiras” deste formato. Falou sobre o tema do dia, a masturbação e fidelidade, e revelou que quando o faz… raramente pensa no seu companheiro actual. Declarações bombásticas sobretudo para quem cresceu durante o boom mediático dos Morangos com Açucar.

Bumba na Fofinha – A barra estava pesada depois da estreia de Joana Duarte. Mas conseguiu o seu espaço ao confessar que já experimentou – e é muito fã – de um brinquedo sexual que deu a conhecer num dos seus últimos vídeos. Chegou mesmo a mostrá-lo em directo (estava “à mão”) e a confessar que o que se sente é “como se o pipi estivesse ao vento numa janela de carro aberta na auto-estrada”.

Filipe Melo – O seu piano fala e diz sempre as coisas mais bonitas. Mas para além disso, também ficámos a saber que depois de Nuno Markl ter encontrado o amor graças ao “bicho”, a missão de Bruno Nogueira nesta temporada vai ser conseguir o mesmo desfecho para Filipe Melo.

Por último, mas nada menos importante, nesta emissão de mais de duas horas, foram angariados mais de 9800 euros para a Operação Nariz Vermelho. Porque se há algo que este vírus nos ensinou… é que temos de estar todos juntos nisto, na vida!