É um dia feliz para todos os Portugueses. Mesmo em casa, recolhidos por obrigação, sentiram-se milhões de corações a bater dentro do Autódromo Internacional do Algarve, enquanto decorria uma verdadeira masterclass de motociclismo pelas mãos de Miguel Oliveira. Mais um dia em que fica provado o inesgotável talento português para o desporto, seja colectivo ou individual, com ou sem rodas, e a viver ou não uma pandemia.

No dia em que foi anunciado o regresso do Moto GP a Portugal, em Agosto, escrevemos que aquele era o dia em que nascia o novo sonho de Miguel Oliveira enquanto motociclista do circuito mais prestigiado do mundo: vencer este Grand Prix em casa, numa pista que tão bem conhece e com o seu público a puxar por ele nas bancadas. Felizmente, este último detalhe do sonho foi o único que não se concretizou… ainda! Apesar disso, a força dos amantes do desporto motorizado falou mais alto e contagiou tanta e tanta gente, que acabámos por ter um país inteiro colado à televisão na expectativa de celebrar um feito incrível. Que aconteceu!

Créditos: Motosport.com.pt

O FIM-DE-SEMANA PERFEITO

Nos primeiros testes, na sexta-feira, já Miguel Oliveira tinha sido dos mais rápidos. Ontem, no sábado, depois de na primeira volta da ronda final da qualificação ter feito o 6º melhor tempo, e na segunda o 4º melhor, à terceira foi de vez e fez o melhor tempo do dia -- reservando assim para um português, pela primeira vez na história do motociclismo português, o primeiro lugar da grelha de partida de uma etapa do Moto GP.

E se durante os treinos e qualificação se sentiu a confiança plena nas suas capacidades, a corrida foi o expoente máximo dessa crença. Miguel Oliveira partiu em primeiro e não mais largou esse posto, liderando de forma exímia em todos os momentos da corrida. O desfecho foi aquele com que todos sonhávamos e vale a pena ser revisto vezes sem conta:

Depois deste sonho concretizado, num fim-de-semana perfeito -- de domínio absoluto do piloto de todos nós -- novos sonhos surgem no horizonte. Com mais experiência de vitória e numa nova equipa (a de fábrica da KTM), com mais meios para lutar pela vitória em todas as corridas, a bandeira portuguesa voltará certamente a voar bem alto. E começa a ficar impossível não imaginar Miguel Oliveira como futuro campeão do mundo…