Com o confinamento voltam os dias passados em casa, e com isso volta a vontade de renovar, mudar de ares e inovar. A acompanhar bem de perto este contexto estão as empresas que fabricam as chamadas “casas do futuro”. E que para além de serem de construção muito mais rápida e fácil, têm muitas outras vantagens que fazem com que o interesse neste tipo de construção e funcionalidade tenha disparado durante a pandemia! Espreitamos dois exemplos?

NESTRON

Recentemente apresentado, o Cube Two é a nova grande aposta da Nestron, uma empresa com sede em Singapura e que se dedica à construção de casas de tiny living (viver em pouco espaço). Quanto a este modelo, trata-se de uma casa modular que pode albergar até quatro pessoas e cujos electrodomésticos podem ser comandados através de um assistente de voz.

As grandes vantagens deste Cube Two são o carácter inovador relacionado com o comando por voz, o factor segurança (é feita a partir de materiais anti-sismicos e anti-fogo) e o custo global da casa – disponível a partir de 43 mil euros. Por outro lado, a grande desvantagem é mesmo o quão pequena é, uma vez que no total se trata de um espaço de apenas 26 m2.

MDH

A My Design House (MDH) é uma das referências na construção de casas modulares em Portugal. Incluimo-la neste artigo por ser um excelente exemplo do melhor que este tipo de construção proporciona: versatilidade no design – estilo e nas dimensões da casa; tempo de construção muito inferior aos outros métodos; segurança garantida (os componentes das suas casas são igualmente à prova de fogo e anti-sismicos); pegada ambiental muito inferior à da construção tradicional em alvenaria e por fim o preço, com o custo a situar-se a partir dos 650 euros por m2.

Independentemente de como evoluirão as tendências, temos a certeza que uma opção como esta, em que uma casa demora apenas 4 meses a passar do projecto a estar pronta a habitar, faz parte do presente assim como fará do futuro.

A SOLUÇÃO PARA O TELETRABALHO

Começar a trabalhar a partir de casa foi talvez aquilo que mais mudou na vida de tantos portugueses com a pandemia. E percebemos agora, muitos de nós, que essa realidade obriga a uma reorganização da forma como encaramos o trabalho. Em muitos casos provavelmente o teletrabalho, que claramente funciona para muita gente, será definitivo, e obrigará a uma reorganização não só mental mas também de espaço!

Aproveitando esta onda de mudança, a MDH especializou-se na criação e construção de micro-hubs que podem ser instalados praticamente em qualquer terreno e são esteticamente muito apelativos: a linha MODify Office.

Os modelos base desta linha têm diferentes tamanhos e configurações, adaptando-se por isso a qualquer tipo de escritório, e custam a partir de 18 mil euros.

Para mais informações espreitem aqui!