Quando pensamos em ténis ou sapatilhas pensamos numa peça do nosso outfit que é normalmente desportiva, confortável e relativamente acessível. Certo? A verdade é que, pelo contrário, existe todo um culto em torno de algumas peças – normalmente utilizadas por alguém especial ou excentricamente personalizadas – que faz com que as respectivas valorizações disparem, acabando por resultar, muitas das vezes, em vendas praticamente milionárias. Espreitamos algumas das histórias mais incríveis?!

Nike Air Jordan 12, de 1997

Pela quantidade de grandes vendas dos icónicos Air Jordan, tínhamos de começar mesmo por esta história! A grande particularidade deste par, autografado, é que foi utilizado pelo próprio Michael Jordan e num jogo emblemático em 1997 – no qual, apesar de estar doente, conseguiu alcançar a marca individual dos 38 pontos. No final do jogo descalçou-se e deu estes AJ12 a um apanha-bolas (há pessoas com muita sorte mesmo!). Passados 16 anos foi o próprio apanha-bolas que decidiu vendê-los, tendo arrecadado com a venda mais de 85 mil euros.

Nike Mags, de 2016

Depois do sucesso estrondoso da aparição no clássico filme “Regresso ao Futuro”, no qual eram usados pela personagem interpretada por Michael J Fox, estes Nike Mags, cujos atacadores se apertam sozinhos, foram re-criados novamente em 2016 através de uma edição limitada. O último destes pares acabou por ser leiloado e quem o comprou pagou praticamente 170 mil euros! O objectivo do leilão era arrecadar dinheiro para doar a favor da pesquisa sobre a Parkinson – doença que afecta precisamente Michael J Fox

Créditos: Sothebys

Nike Moon Shoe, de 1972

Se já é estranho que um dos modelos a atingir maior valorização de sempre tenha sido fabricado em 1972, mais estranha ainda é a origem do desenho: foram idealizados por um dos co-fundadores da Nike, Bill Bowerman, que se inspirou no formato da sola dos sapatos dos astronautas que participaram na Missão Apollo 11 para criar este modelo desportivo. Não menos estranha é a forma como Bill pensou executar este padrão: moldando a borracha na máquina de fazer waffles da sua mulher. Este exemplar, o único dos doze produzidos que nunca foi usado, foi vendido por mais de 360 mil euros.

Créditos: Reuters

Nike Air Jordan 1s, de 1985

De volta aos Air Jordan para falar da febre em torno de Michael Jordan que a série “The Last Dance”, do ano passado, reavivou. Todo o tipo de produtos alusivos a MJ ficaram significativamente mais caros ou esgotaram. Aliás, em muitos casos, ambas as coisas aconteceram. A venda astronómica destes 1S de 1985 – usados pelo próprio num jogo de pré-época em que ao afundar uma bola partiu o vidro da tabela do cesto – é também resultante dessa nova onda de entusiasmo em torno do mito. Quem os comprou, em Agosto do ano passado, pagou mais de meio milhão de euros! 

Créditos: Christies

Air Jordan 10s, de 2016

Acabamos talvez não com a melhor história mas certamente com a mais excêntrica. Em 2016 Drake terá gastado mais de 1,6 milhões de euros na compra de uns Jordan 10s feitos em ouro! Esta obra de arte, muito mais do que uma peça de calçado, foi pensada e criada pelo designer Matthew Senna, e pesa mais de 45kg – o equivalente a quatro barras de ouro. Como o próprio Drake escreveu, neste post no seu Instagram em Julho de 2016, estes não são para usar…!