No Dia Internacional da Mulher, escrevemos sobre três (das muitas) que idolatramos! Quer seja pela atitude ímpar que emanam cada vez que as vemos em qualquer que seja o contexto, quer pelo talento ou pelo que conseguiram alcançar na vida – em alguns casos, com repercussões indiscutivelmente positivas quer para todas as Mulheres quer para o evoluir da sociedade.

Aos nossos olhos, festejar ou não este dia nem é discussão. Enquanto vivermos numa sociedade desigual no que quer que seja, vale a pena utilizar todas as armas disponíveis para demonstrarmos, o mais possível, a importância das Mulheres e o maior papel de influência e decisão que têm que ter quer nas suas vidas profissionais quer pessoais. Por pensarmos assim, escolhemos três das mulheres que idolatramos e vamos explicar o porquê de as termos escolhido para nos inspirarem neste dia tão especial!

MARILYN MONROE

Não poderíamos deixar de escolher Marilyn Monroe. Muito para além do seu talento dramático e de todas as polémicas, é um ícone precisamente pela atitude. Porque provavelmente foi das Mulheres que mais conseguiu, à escala global, começar a mostrar que as Mulheres podem ter a atitude que quiserem. Devem poder ser ousadas em absolutamente tudo: desde o que vestem ao que dizem, tudo! Marylin teve e acreditamos que ainda tem este papel influenciador por isso não só agradecemos como aplaudimos!

MERYL STREEP

É uma das melhores actrizes de sempre, e isso parece-nos indiscutível. A capacidade que tem de nos transportar para as realidades das suas personagens é impressionante mas, como a própria já admitiu, há sempre algo dela em cada uma das Mulheres que representa. Um filme que a tenha no cartaz é um must-watch para nós e para muitos dos verdadeiros amantes da sétima arte. As mais de 20 nomeações para Oscars são um recorde que provavelmente nunca será batido e isso será mais uma das razões para que Meryl seja, para sempre, absolutamente única!

JANE FONDA

Nos dias de hoje é muito mais fácil falar do que fazer. Certo? Jane Fonda, actualmente com 83 anos, sempre foi reconhecida por ser politica e socialmente activa, a par com a sua brilhante carreira enquanto actriz. E não é a idade que a está a fazer abrandar! A prova mais recente desse valioso envolvimento foi dada nos vários protestos contra a negação de políticas que protejam o planeta do aquecimento global, por parte da anterior administração Americana, chefiada por Donald Trump. Em quatro desses protestos acabou por ser detida e depois de um deles, acabou mesmo por passar uma noite presa. Quando lhe perguntaram o porquê de todo este envolvimento, disse:

“Temos que nos envolver cada vez mais e protestar(…), o que significa arriscar sermos presos. (…) É uma crise muito grave e temos muito pouco tempo.”