As movimentações de bastidores já são faladas há muito. Há um conjunto de clubes poderosos (os mais ricos da Europa) que quer o fim da Liga dos Campeões como a conhecemos para que possa surgir uma nova competição onde o dinheiro fala mais alto do que tudo o resto. A UEFA movimenta-se no sentido contrário e voltou a avisar hoje que caso esses clubes avancem… haverá sanções graves!

Todos sabemos que o futebol é uma indústria, e que por isso os interesses económicos falam muitas vezes mais alto do que a beleza do jogo e do que o desejo dos adeptos. Há já alguns anos que se fala que um conjunto de clubes está a preparar uma nova competição, a “Superliga Europeia”, e nos últimos dias voltou a falar-se muito sobre estarmos perto do seu anúncio – que acaba de acontecer. No fundo trata-se de uma nova competição que, aos olhos dos clubes fundadores, vem substituir a Liga dos Campeões, e que trará maior retorno financeiro para os clubes que participem. Então, afinal, qual é o problema?! É que clubes de menor poder financeiro terão menos hipóteses de poder participar.

O formato desenhado por esta associação de clubes prevê um total de apenas 20 equipas, com 15 delas a serem permanentes (não dependentes das classificações nas ligas internas de cada país, como acontece agora) e apenas 5 serem via classificação anual. Os clubes que já terão dito “sim” ao formato e que pretendem marcar presença permanente serão: Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madrid, Manchester City, Liverpool, Manchester United, Arsenal, Chelsea, Tottenham, Inter de Milão, Milão e Juventus. Segundo o The Times, que avança estes nomes, todos os clubes fundadores desta “Superliga Europeia” receberão 350 milhões de euros por isso. Dos tubarões actuais do futebol europeu, apenas Paris Saint-Germain e Bayern de Munique preferem o actual modelo de Liga dos Campeões.

O CONTRA-ATAQUE DA UEFA

Completamente contra esta rebelião dos clubes mais poderosos está a UEFA, que organiza a Liga dos Campeões. O organismo que está responsável pela gestão das competições da instituição é presidido neste momento pelo Director da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, e ao que parece prepara-se para anunciar uma renovação de formato para a Liga dos Campeões: começará a acontecer desta forma em 2024 e para além de contar com mais 4 equipas face ao formato actual, terá 100 jogos a mais e as equipas terão, na fase inicial, adversários mais condizentes com a sua capacidade, aumentando a competitivade geral da competição.

Créditos: Laszlo Balogh / AP Photo

Num comunicado feito na noite de ontem e que lemos no jornal Record, a UEFA, sem falar neste novo formato que vai impor, foi mais uma vez muito dura com o projecto da Superliga Europeia, e afirmou:

“Iremos considerar todas as medidas ao nosso alcance, a todos os níveis, tanto judiciais como desportivas no sentido de evitar que tal venha a acontecer (…) Como foi dito anteriormente pela FIFA e seis Federações, os clubes em causa serão banidos de qualquer outra competição doméstica, europeia ou mundial, e os seus jogadores poderão ser impedidos de representar as respetivas seleçoes”, acrecenta a UEFA.

“Agracedemos aos clubes de outros países, nomeadamente franceses e alemães, que recusaram participar nisto. Apelamos a todos os amantes de futebol, adeptos e políticos que se juntem a nós e lutem contra este projeto, se for anunciado. Esta persistente interesse próprio de alguns já foi levado longe de demais. Já chega”, rematou o organismo que rege o futebol europeu.