A BOA LOUCURA DOS SANTOS POPULARES!

HHaverá dias mais felizes do que aqueles em que toda a gente sorri? Em que as ruas se enchem de cor, som, cheiro e sabor para receber sem fronteiras todos aqueles que as querem sentir?! Os dias de festejo dos Santos Populares são mágicos porque nos tiram o peso da formalidade que carregamos no dia-a-dia. Eu sou fã e não falto!

Festejar os Santos Populares é muito mais do que ser crente. Faz parte do ADN português e da nossa forma de estar. E por outro lado… desmancha alguns preconceitos que em dias normais podem ser sentidos: nestas noites não há pessoas engravatadas e outras de camisas de alças; não há cores nem idiomas e nem há novos nem velhos. É quase poético que nestas noites se juntem todos para cantar, dançar e, claro, comer e beber!

QUEM NUNCA?

Que se confesse agora quem nunca comeu uma sardinha no pão, comprou um manjerico ou pegou num daqueles martelos simpáticos às cores! Os Santos Populares têm estas referências que associamos imediatamente a esta época do ano e que nos marcam.

Viver estas noites acaba por ser uma experiência sensorial no mais literal sentido da palavra. Não há quem passe por elas sem sentir o som da música típica que toca em todos os bairros, a chuva de cores das decorações que vemos em cada rua, o cheiro dos manjericos e até o sabor das tais sardinhas e das bifanas que se vendem quase porta a porta.

Quer seja a norte ou a sul, eu sou fã destes ambientes de verdadeira festa… sem grandes filtros! Sempre que posso não falho um Santo António e também já tive noites de São João incríveis. Talvez esteja também na altura de vibrar no São Pedro…

Quem sabe se nos próximos dias não nos encontramos por aí… de sorriso na cara! 😉

JM.