A PAIXÃO PELO DIRECTO… MAIOR DO QUE NUNCA!

A magia do directo” é um daqueles chavões que todos os envolvidos na produção de um programa deste tipo mais usam. Quer sejam assistentes, realizadores, produtores ou apresentadores. Toda a gente diz porque, na verdade, toda a gente sente a adrenalina que nos preenche quando ouvimos aquele primeiro “no ar em 3,2,1…”. Esta é uma das minhas paixões e hoje vou falar-vos dela.

Antes da TVI…

Já tinha feito outros directos, em canais com uma audiência mais pequena, e por isso com outro nível de responsabilidade. E antes disso também tinha feito o curso de representação e apresentação em Los Angeles, que me deu as bases que precisava para poder trabalhar neste meu sonho. Não foi por isso novidade absoluta quando chegou o momento de estar pela primeira vez em directo para a TVI. Foi no programa “Ora Acerta”, que era transmitido nas madrugadas e que dava prémios aos telespectadores que ligassem com a resposta certa aos nossos desafios. Aparentemente pode parecer um programa relativamente simples, mas não era! O programa não era feito em Portugal, a produção nem sequer falava português e um programa com muitas chamadas a entrar em directo nunca é fácil de controlar. No final de cada programa sentia-me tão realizado quanto cansado. Mas cada um valia mais a pena do que o anterior, dia após dia 🙂

Quando cheguei a Portugal e a ideia era fazer as “Ricas Quintas”, quer de manhã no “Você na TV”, quer à tarde no “A Tarde é Sua”, senti que era a minha grande oportunidade de provar o meu valor. O que eu não sabia na altura era que o prazer em fazer directos ia continuar a crescer paralelamente à dimensão da oportunidade, da responsabilidade e da adrenalina!

O “Somos Portugal” veio depois e deu-me aquilo que eu também não sabia que precisava: contacto com o público. Sentir as suas reacções, ouvir os conselhos (e críticas, claro!) e receber todo o carinho que têm para nos dar. No fundo veio acrescentar aquilo que a televisão tem de mais puro: o laço incontornável entre quem faz e quem vê. Sendo que neste programa quem está a ver não é um simples espectador passivo… é alguém que está dentro do programa e que ao participar… o constrói. No passado domingo foi em Barcelos e mais uma vez foi indescritível (de tão bom) poder contactar com todos aqueles que têm algo para nos dizer.

Obrigado a todos desse lado. Na televisão, no blogue, no Facebook, no Instagam, no YouTube e pela rua. A magia do directo também são vocês 🙂

JM.