A SÉRIE DO MOMENTO: “SUCCESSION”

Não é thriller nem comédia, não representa uma realidade do passado nem um universo alternativo. Não aborda um tema baseado em factos reais nem fracturante. Não é a série mais popular do momento nem tem nenhum actor dos “grandes” de Hollywood. Mas ganhou dois prémios nos Globos de Ouro que aconteceram recentemente e tem-me conquistado cada vez mais a cada episódio. “Succession”, da HBO, é a minha série do momento 😉

A cerimónia anual de entrega dos Golden Globes, organizada pela Hollywood Foreign Press Association, é uma daquelas que eu nunca falho – a par dos Oscars e BAFTA. E é importante sobretudo pelo destaque que dá aos projectos televisivos. Como grande viciado que sou em séries… fico sempre acordado para tentar perceber se as que vejo serão premiadas e quais são aquelas que não conheço tão bem e que acabam por ser sê-lo também. “Succession” é um desses casos: já tinha ouvido falar por alto mas nunca cheguei a procurar sobre ela. Ganhou o prémio de melhor série de televisão na categoria de drama e Brian Cox venceu na categoria de melhor actor numa série de televisão. No fundo no fundo foram estes prémios a gritar-me ao ouvido “vai vêeeeee-laaa”! 🙂

Entre dois voos de avião e alguns tempinhos mais mortos para relaxar vi o primeiro, o segundo, o terceiro, o quarto, o quinto… e de repente assim voou uma primeira temporada com dez episódios! O que me fascinou em primeiro lugar foi o tema e as referências que tem ao meu mundo, o mundo dos “bastidores” dos negócios, dos media e de como as guerras de poder transformam muitas vezes as pessoas e os planos que têm para si. A série retrata a vida da família Roy, dona de uma grande empresa nos Estados Unidos, que tem negócios em varias áreas, e sob a qual paira o fantasma da sucessão. O actual presidente e dono, Logan Roy, construíu a empresa do zero mas vê-se agora mais velho e com algumas dificuldades. Os filhos perfilam-se para poder suceder mas… há outros factores a baralhar isto tudo. E essa é mesmo a razão de a série nos agarrar episódio atrás de episódio: está seeempre a acontecer alguma coisa que muda quase tudo.

O elenco foi uma boa surpresa, confesso. Com destaque para Brian Cox, o actor principal, que interpreta o papel de Logan Roy. Apesar de nunca se ter mostrado em grande no cinema, construíu a sua carreira praticamente toda na televisão tendo agora um dos momentos mais altos, arrecadando um dos globos mais desejados. E para quem acompanha a série, esta vitória não pode ser uma surpresa. Sem ser spoiler digo-vos só que ele consegue que em cada episódio achemos uma coisa sobre o seu futuro, surpreendendo-nos novamente logo no episódio seguinte.

Outro dos actores que me tem surpreendido é Jeremy Strong, que interpreta Kendall Roy. E sobretudo pela sua prestação nos últimos episódios desta primeira temporada. É quase impossível não nos inquietar o cocktail de emoções com que frequentemente se debate. Muito bom!!

Por fim também quero destacar Kieran Culkey. E se o nome vos parecer familiar… é porque é, literalmente! Kieran é irmão de Macauley Culkin, o eterno “Sozinho em casa”. Nesta série interpreta o papel de Roman Roy, um dos filhos de Logan Roy. É provavelmente aquele que parece menos importante na linha de sucessão mas que muitas vezes ajuda a que o rumo da história mude. A performance de Kieran é acima da média, conseguindo transportar-nos em muitos momentos para os rasgos de loucura e irreverência que lhe passam pela cabeça! Afinal… até ele tem alguma coisa de “Sozinho em casa” 😉

Acabada a primeira temporada resta-me continuar para a segunda e depois esperar pela terceira, que já foi confirmada pela HBO. Se continuar a ser como até agora… contem comigo deste lado 😉

JM.