A TERCEIRA TEMPORADA DE STRANGER THINGS!

Se tivesse que definir esta temporada numa palavra, seria “surpreendente”! Já escrevi várias vezes sobre Stranger Things mas nunca com tanta vontade como agora, depois de já ter visto os oito novos episódios. Desde 2016 que esta série tem sido uma das mais populares, dificultando assim o desafio de manter o sucesso a todos aqueles que a fazem. E a questão que se impõe é: será que esta temporada esteve à altura das expectativas?!

A fasquia ficou elevada com as primeiras duas temporadas – que embora significativamente diferentes, tiveram um impacto semelhante no público em geral: muito positivo. O que tinham afinal os Duffer Brothers (criadores) e a Netflix que fazer nesta terceira? A verdade é que não há receitas de sucesso no entretenimento, nada é garantido à partida! Quantos e quantos exemplos não temos nós, que acompanhamos séries há muitos anos, de temporadas que fracassaram depois de outras terem sido um sucesso?! Ou mesmo de últimos episódios que são autênticas desilusões… o primeiro que me vem à cabeça é logo o último de Lost, uma das primeiras séries que vi e me prendeu completamente.

Neste caso posso garantir-vos que estes oito novos episódios… estão muito longe de ser uma desilusão! Aliás, pelo contrário… para mim esta é claramente a melhor temporada de Stranger Things!! 🙂

SPOILER ALERT! – O resto deste texto pode conter um spoiler das duas primeiras temporadas 😉

A aventura de Eleven, Mike e todos os amigos – crianças e adultos – continua e a uma escala nunca antes vista. Aliás, sinto que tudo aquilo que a série já tinha de bom se mantém (como o guião, o som e a cenografia, por exemplo) mas acrescentaram mais suspense e… factor “wow” – aquele extra que mexe com as nossas emoções de forma quase irracional: insegurança, medo, alegria e tristeza são só algumas das que senti mais à flor da pele!

Também a narrativa foi bastante surpreendente, tendo uma estrutura invulgar e inquietante mas que acaba por fazer sentido à medida que vamos vendo: e que no final acaba por valorizar conceitos muito importantes e presentes em toda a série como a união e a amizade. Para além do núcleo de actores principais continuo a destacar o “Steve Harrington” – interpretado brilhantemente pelo Joe Keery. Ele é o “típico americano”, é um herói e um anti-herói ao mesmo tempo, é sensível e corajoso e mais uma vez… fundamental para contar a história desta forma. Diria que ele é o espelho dos Duffer Brothers!

… Por fim deixem-me só dizer-vos que não sei se estão preparados para o super-último episódio. Por mim todos os argumentistas deste planeta deviam ser obrigados a vê-lo. É simplesmente… mágico. Confiem em mim 😉

JM.