A VIAGEM QUE QUERO FAZER

Se tivesse de escolher uma única forma para passar o tempo livre até ao fim da minha vida, escolhia passá-lo a viajar. A adrenalina de conhecer realidades diferentes daquela em que vivo entusiasma-me, e em muitos casos quanto mais longínqua for a viagem, mais diferente será a vivência e cultura nesse local. A minha próxima será uma destas, de conhecer um mundo novo.

Sou um sortudo. Já pisei a terra de quatro continentes do nosso mundo. Descobri tantos mundos diferentes dentro da Europa (do Norte ao Sul), senti o calor e pôr-do-sol do Norte de África, mergulhei no paradisíaco mar das Caraíbas, atravessei de carro os Estados Unidos da América, onde até vivi durante alguns anos, e presenciei os arranha-céus do Dubai. Tenho a noção do privilégio que é poder ter escolhido conhecer todos estes sítios e vivê-los na primeira pessoa.

A diferença entre viajar e comprar alguma coisa material é que as viagens nos dão uma coisa que fica para sempre independentemente do tempo e espaço em que estejamos: memórias. O prazer de viajar não acaba quando chegamos a casa – na verdade, pelo menos para mim, nunca acaba! Quantas vezes não dou por mim no dia-a-dia a lembrar-me de pormenores de viagens que já fiz… penso em paisagens, cheiros e barulhos desses sítios. Nesses momentos dava tudo para voltar! E é também neles que me inspiro e entusiasmo para preparar as viagens futuras.

E AGORA!?

Ando numa fase em que penso em viagens graaaaandes. Que me façam atravessar o mundo de um lado ao outro e me mostrem algo que nunca vi. E é por isso que quero viajar em breve para o continente asiático – um dos que conheço menos bem. Maldivas, já ouviram falar… ? 😉

JM