DESCOBRI MAIS UMA PÉROLA BEM PERTO DE LISBOA: “A TINA”!

Trabalhar em televisão significa passar muitas horas em estúdio a gravar e não ter horários 100% fixos. Almoçar e jantar são dois bons exemplos disso. Mas nem tudo é mau… ontem depois de mais uma noite longa de gravações descobri um restaurante a não perder: “A Tina”!

Normalmente saio dos estúdios, seja a que hora for, e tento controlar a fome até chegar a casa – onde sei que tenho a minha comida à espera! Mas nesta noite não consegui mesmo. O dia foi intenso e eu nem tive tempo para almoçar. Portanto quando saí, já perto das 22:00, procurei numa daquelas aplicações que nos diz tudo sobre restaurantes, um restaurante interessante na zona onde eu estava – Loures. “A Tina” apareceu muito bem classificado e aí fui eu. Para início de conversa tinha tudo aquilo que eu precisava: é um restaurante tipicamente português com pratos que têm tanto de alma como de bem confeccionados e cheios de sabor.

Sem pretensiosismo algum, mas sim muito conforto (quer na comida quer no espaço), há muito por onde escolher. Entre petiscos, peixe e carne… tudo parecia ser óptimo. Como a fome era negra ia mesmo optar por pedir carne. O “Costeletão” foi logo o que me chamou mais à atenção. Mas quando me sentei fui abordado pelo Chef César Afonso, que me reconheceu da TVI e simpaticamente me propôs um “menu degustação” personalizado. Nunca digo que não a este tipo de desafios e por isso… avançamos! 😉

Queijo de ovelha amanteigado e Paio de porco preto

Logo na entrada fui conquistado em dois actos! Queijo de ovelha amanteigado e paio de porco preto. O pão também é delicioso e fez a ligação entre estes dois produtos tipicamente portugueses e que claramente foram escolhidos a dedo pelo Chef para estar nesta ementa. Aconselho!

Também percebi rapidamente que a carta de vinhos é de um nível acima da média. Mas deixei esta escolha nas mãos de quem tão bem me serviu. E não falharam… o vinho tinto da casa é óptimo – “Descoberta”, um Casa Passarela de 2015.

Logo depois do vinho chegava uma dose de Gambas à Guilho. Bem confeccionadas, com a crosta da fritura bem presente e um molho que exige claramente pão a acompanhar 🙂

Costeletão na tábua

Depois de alguns minutos novamente à conversa com o Chef percebi logo: o “Costeletão” é a estrela do restaurante! É um prato para dividir por dois – à vontade… – e em que o sabor da carne é rei. É servido com batatas fritas caseiras e dois molhos que podem dar outras vidas diferentes à carne: Mostarda Dijon e Molho de Alecrim. Mais do que aconselhar, digo: não podem perder 😉

Arroz de Garoupa e Camarão

Este prato também me encheu as medidas. É aquela refeição típica de inverno, que nos aquece corpo e alma. O arroz estava exactamente como se pede – malandrinho – e o tempero também no ponto, nem demasiado salgado nem picante. Para além de tudo o resto a dose, como todas as que vi passar, é bem generosa!

Vazia Marmoreada

Antes de passar para as sobremesas ainda fui surpreendido pelo novo prato da ementa: Vazia Marmoreada. Uma carne completamente diferente daquelas que normalmente comemos: incrivelmente saborosa e tenra – fiz o teste e até com a parte de trás da faca se consegue cortar!

Para terminar, e porque tinha de dar uma hipótese também às sobremesas, provei os clássicos doce da casa e cheesecake. Não desiludiram! 😉

Se tivesse de resumir tudo numa frase diria:

Se estiverem à procura de um restaurante onde possam comer – entre muitas outras coisas – excelentes cortes de carne, confeccionados no ponto e a um preço incrivelmente justo escolham “A Tina”.

Eu volto, certamente!

JM