DETOX, SIM OU NÃO?!

E se vos dissesse que desta vez decidi fazer um boicote aos doces da Páscoa e optei antes por uma alimentação líquida e detox? Parece mentira mas não é. Entre sexta-feira e domingo desafiei-me a ingerir só líquidos saudáveis e biológicos. Depois de terem estado muito na moda, as dietas detox perderam algum protagonismo, e por isso inicialmente estava um pouco céptico. Mas mesmo assim avancei para tirar as minhas próprias conclusões!

Folar (trezentas receitas diferentes 🙂 ), bolo de chocolate, torta de laranja, arroz doce, amêndoas e ovos de chocolate (…) – sinto que precisávamos de estar aqui o dia todo para nomear todos os “pecados” que habitualmente cometemos nos dias da Páscoa! Mas este ano foi diferente e, depois de uma fase em que me preocupei menos com a alimentação (durante a viagem aos açores e nos tempos seguintes), decidi avançar para este desafio bastante difícil, sobretudo por ser durante uma época festiva. Senti mesmo necessidade de recuperar o equilíbrio e para isso tentei uma dieta líquida. O clássico “Detox”!

Escolhi o conceito reboot do The Cru – que serve precisamente para fazer um reset ao nosso corpo no que toca à alimentação. Esta dieta pode ser feita durante um período entre um e cinco dias e, para não ser nem demasiado ambicioso nem muito superficial decidi fazer durante três dias! Para mim, a grande vantagem deste conceito é a certeza que tenho em estar a ingerir apenas alimentos verdadeiramente biológicos, sem químicos. Os batidos são constituídos por frutas e legumes e a regra é: nada de ingerir alimentos sólidos nem quaisquer outros líquidos para além dos batidos programados. A única excepção (que se pode adicionar a estes batidos) é mesmo água. E em casos de S.O.S, mais fruta 🙂

Neste momento devem estar a pensar que escolhi uma má altura do ano para um programa destes. Mas quando se precisa mesmo de fazer um reboot ao nosso sistema, todas as alturas são boas 😉

O primeiro dia, a sexta-feira, correu muito bem. Cumpri a 100% e senti que ia conseguir com relativa facilidade continuar a cumprir durante os outros dois dias – até porque achei todos os batidos deliciosos! Mas no sábado, sobretudo durante a parte da tarde, a fome apertou e não consegui evitar comer uma barra de cereais – apesar de ser um erro é um erro menos mau porque foi uma barra raw sem qualquer tipo de açúcar! No terceiro e último dia, o fatídico domingo de Páscoa, voltei a conseguir beber com facilidade todos os líquidos programados e adicionei apenas um robalo grelhado.

Apesar da dificuldade posso garantir-vos que me sinto bem melhor agora do que quando comecei o desafio! Sinto-me menos enfartado, inchado e cansado e muito mais relaxado e com mais apetite e melhor trânsito intestinal. Só coisas boas! Portanto o meu veredicto é simples… o Detox – desde que verdadeiramente biológico como este do The Cru – continua a ser uma opção muito válida. E serve muito bem os diferentes objectivos de cada um. É naturalmente saudável e só isso diz tudo 😉

JM