O HOMEM DO MOMENTO: JORGE JESUS

Jorge Fernando Pinheiro de Jesus. Jorge Jesus. Jota Jota (JJ). São estes os nomes pelos quais é conhecido o homem do momento em toda a América do Sul e um pouco por todo o mundo. Acaba de ganhar a prova mais importante do futebol sul-americano e deixa assim a sua marca na história de um dos maiores clubes do planeta. No dia em que toda a gente fala da sua glória, é importante não esquecer toda a sua caminhada até aqui. E não foi sempre fácil…!

O Flamengo ganhou ontem à noite a Taça dos Libertadores – a prova equivalente à europeia Liga dos Campeões. Se é verdade que o Fla (como também é conhecido no Brasil) é um dos maiores clubes do mundo – estima-se que só no Brasil tenha mais de 40 milhões de adeptos – também é verdade que há 38 anos não era capaz de vencer a prova rainha do continente. E agora aconteceu, exactamente 38 anos depois da última vez, no mesmo dia 23 de novembro. Quando em Junho se transferiu para o clube, voando assim até ao Rio de Janeiro, muitos dos mais conceituados comentadores desportivos brasileiros torceram o nariz: claramente não conheciam o talento, trabalho e a fibra de Jorge Jesus.

O seu pai foi futebolista e jogou no Sporting na época dos “cinco violinos”. Ele também por lá passou enquanto jogador anos mais tarde – como por tantos outros clubes – mas foi como treinador que subiu a pulso e construíu uma carreira que o eleva ao patamar mais alto do desporto português.

Nasceu e cresceu na Amadora, num contexto difícil, como o próprio já admitiu diversas vezes, e em que a garra e determinação foram fundamentais para ultrapassar vários obstáculos. Quem sabe se não foram essas as bases que permitiram que crescesse também enquanto treinador?! Começou a treinar no Amora em 1990. Depois seguiram-se mais 9 clubes até chegar ao Benfica, já em 2009. Ao contrário do fenómeno José Mourinho, que rapidamente chegou ao patamar mais alto, Jorge Jesus fez um caminho mais sinuoso, com avanços e recuos, até que 19 anos depois conseguiu chegar a um grande. E a partir daí… já todos sabemos. Ganhou dezenas de títulos colectivos e individuais e tornou-se numa lenda do futebol português. Este título ganho ontem, o maior da carreira, só prova que há muitos caminhos para chegar a um mesmo objectivo. Jorge Jesus seguiu um difícil mas… conseguiu. E só o futuro dirá se não há mais conquistas à sua espera. Eu acredito que sim!

Por muito que se olhe com desconfiança pela forma muitas vezes atrapalhada e muito genuína como fala, o dia de ontem confirmou aquilo que já vinha sendo óbvio para quase todos: Jorge Jesus é muito mais do que isso. É um homem que subiu na vida a pulso e construíu uma carreira ímpar. Um homem que vibra e é transparente nas suas emoções em todos os momentos. E um homem que pegou na bandeira portuguesa e a levou ontem ao céu.

O mundo Flamenguista está feliz e Portugal também. É caso para cantar com a torcida brasileira:

Olé olé olé olé, Misterrrr, Misterrrr… 🙂

JM.