O NOVO SUCESSO DA NETFLIX. SIM OU NÃO?

O que fariam se amanhã um surto incompreensível fizesse com que todos à vossa volta se quisessem suicidar e pôr em risco a vossa vida? É a pergunta que nos faz a Netflix no seu mais recente sucesso. “Bird Box”, ou “Às Cegas” na versão traduzida, é uma história diferente e encabeçada por uma poderosa Sandra Bullock. Conto-vos tudo agora!

Mal recebi a notificação do lançamento quis vê-lo. Hoje tive, finalmente, algum tempo livre e avancei! Este filme é uma adaptação de um romance com o mesmo nome, lançado em 2015, e foi agora transformado para cinema pela Netflix, que nos começa a habituar a produzir grandes filmes – quer pela sua qualidade, quer pela força com que são comunicados. Agora que estão a ler este texto vão perceber que à vossa volta só se fala nisto 😉

Prometendo não ser spoiler, começo literalmente pelo princípio: a primeira cena. A meu ver é dos momentos mais determinantes, na medida em que conseguimos entrar totalmente no tom do filme – enigmático, sombrio e forte – e também perceber que estamos perante uma Sandra Bullock poderosa! Vi há um tempo uma entrevista de um realizador de cinema que dizia que os grandes actores têm obrigatoriamente de ter duas coisas: um olhar e um andar. Bullock mostra, logo no primeiro momento em ecrã, que o olhar está lá. Sério, forte, denso. Tudo certo!

A história vai sendo contada em diferentes momentos no tempo. Quanto mais vai avançando mais momentos existem, sendo que há vários de contexto/passado e o de solução/fuga. É um filme que, a espaços, acaba por ser uma experiência sensorial, uma vez que os personagens passam muito tempo vendados e os espectadores são postos nessa perspectiva também. A importância dos elementos sonoros é gritante e a fotografia é rica (sobretudo pela grande variedade de planos) e envolvente, factores que reforçam claramente o enredo.

Sobre o elenco… nada a apontar. Sandra Bullock tem, para mim, uma das suas melhores interpretações – só superada por “Gravity” e “The Blind Side” – e é muito bem acompanhada por Trevante Rhodes (que brilhou em “Moonlight”), John Malkovich e Tom Hollander, cujo papel é curto mas decisivo para o desenrolar da trama.
Sabendo tudo isto… o veredicto! É incrível?… Talvez não. Mas é um filme de ficção-científica com um conceito forte, bem realizado, que em vários momentos nos faz suster a respiração e que pode ser bem assustador…dependendo de quem vê. Ah, e o final. O final é verdadeiramente surpreendente…também por isso vejam! 😉

JM