QUANDO A VIDA TE SURPREENDE… COM UM BRUNCH!

Sinto que está a chegar o momento em que dizem que sou viciado em brunches. E pensando bem, quando chegar, provavelmente terei de admitir! Desta vez fui absolutamente surpreendido: nunca tinha ouvido falar deste e para dizer a verdade só descobri que existia uns segundos antes de entrar pela porta. E ainda bem que mesmo sem ter ouvido falar arrisquei e provei. É certamente uma das melhores opções em Lisboa e por vários motivos 😉

Domingo = dia de brunch. Certo? Para mim é cada vez mais assim. E por isso na passada sexta-feira combinei com um grupinho de amigos irmos a um que eu já tinha experimentado mas eles não! Quando chegámos… estava uma fila descomunal – parece que não é só para mim que os domingos se devem começar com um brunch! Decidimos logo que com a fome com que estávamos não ia dar para esperar tanto tempo, e por isso saímos e começamos a andar em direcção a outro, que ficava la bem perto, e que também já sabíamos que era bom. Mas apenas uns metros depois de termos saído… cruzamo-nos com este: Chérie Paloma. Nunca tínhamos ouvido falar… nada mesmo, zero! E o que decidimos?! Ir à aventura, claro! 😉

Confesso que a única coisa que me irrita um bocadinho nos brunches portugueses é o facto de grande parte terem o mesmo mood e um serviço muito semelhante. E mal entrei senti logo que este poderia ser um caso diferente. E é! Normalmente começo sempre por falar no ambiente mas hoje vou directo ao assunto: o menu. Fiquei agradavelmente surpreendido logo com a variedade da oferta e também por lá ver alguns pratos que não se vêem com frequência em brunches, como os burritos, as quesadillas e os tacos. Sente-se muito, por isso, a influência latina e mais especificamente da cozinha mexicana – que taaaanto comi em Los Angeles e que adoro!! Pedimos várias coisas para experimentar o máximo possível e, surpresa das surpresas, tudo óptimo! O meu feeling estava certo 🙂

As bebidas quentes e os croissants correspondiam às expectativas – e é o mínimo que se exige! Mas os huevos divorciados (nome curioso han?!) eram verdadeiramente de comer e chorar por mais. Também as panquecas nos conquistaram e só não experimentámos mais porque já não conseguíamos… mas voltaremos para provar tantas outras coisas que nos chamaram a atenção! 😉

Ah, e agora, sim, o ambiente. Não posso dizer que seja absolutamente diferente de outros brunches onde já fui mas, na verdade, senti uma vibe mais descontraída e despretensiosa. É o típico sítio em que, se não controlarmos as horas, nos perdemos facilmente à conversa!

Resumindo: Aconselho mesmo a irem e a olharem para a carta com olhos diferentes do habitual: atirem-se para fora de pé, provem algo que normalmente não comem num brunch. Nós fizemos isso e saímos de lá com vontade de voltar muito em breve para um segundo round! 😉

JM.