SÉRIE DO MOMENTO? “THE ACT”!

 

Nesta rúbrica “Série do momento?” vou revelar a série que estou a ver presentemente! E agora é “The Act”. Descobri-a por acaso e num ápice senti-me completamente arrastado para dentro do drama. E em alguns momentos quase que… com medo! 😉

A HBO chegou à relativamente pouco tempo a Portugal e vem tentar abanar sobretudo o mercado das séries – dominado pelas televisões por cabo e também pela sua grande concorrente… Netflix. Depois de alguma hesitação decidi subscrever (até porque tem um período de teste gratuito) e explorar o que têm para oferecer. Para além de grandes clássicos que aconselho a toda a gente sempre que há uma conversa sobre séries – como “True Detective”, “Game Of Thrones” e até “Sopranos” – têm também algumas que me despertaram a atenção pelas histórias em si. Este “The Act” é mesmo o melhor exemplo disso até ao momento.

Logo depois de ver o trailer fiquei com muita curiosidade – e quando isto acontece, é quase certinho que vou começar a viciar! Nele conseguimos perceber que a série gira em torno da história de uma adolescente que sofre de várias doenças e que duas das consequências desse seu estado de saúde são o facto de precisar de andar numa cadeira de rodas e a enorme dependência da sua mãe. Mas… será? Será que todo este azar lhe bateu mesmo à porta? O trailer faz-nos pensar que há qualquer coisa que não está a bater certo, e que esta “adolescente” vai procurar sem limites perceber o que é! 😉

Depois do trailer foi o primeiro episódio, o segundo e o terceiro, sempre sem parar até ao fim. É daquelas séries que me fascina. Primeiro que tudo porque é uma história real (!!!) e depois pela forma como o argumento se materializa. Há muita coisa que não é “típico de série” e isso é um grande oh yeah! para mim.

Acho incrível a forma como em termos de cenografia a produção trabalhou a casa onde vive esta família: aparentemente é normal mas praticamente em todos os momentos consegue ser muito assustadora. Parece uma roulotte em ponto grande. É escura, sombria e fria. E tudo nela parece suspeito.

Outro ponto forte é claramente a caracterização das personagens – sobretudo mãe e filha, que são mais de 90% da série. Patricia Arquette, atriz que interpreta o papel da mãe, parece ao mesmo tempo muito meiga, dedicada e altruísta mas também obsessiva e com rasgos de malvadez. E no papel de filha está Joey King, completamente “mascarada” de filha doente, disfuncional e altamente perturbada. Não acreditam que a caracterização tem todo este poder? Então comparem estas actrizes e as personagens que interpretam 😉

Patricia Arquette vs Dee Dee Blanchard

Joey King vs Gypsy Rose Blanchard

Surreal, não é? Se gostam de montanhas russas e não têm medo do escuro, aconselho vivamente. Se a adrenalina dispara em vocês com o medo e não aguentam bem… vejam na mesma mas acompanhados!

E só vos digo isto: nem tudo o que parece… é 😉

JM