UMA VIAGEM MUITO SURPREENDENTE!

Escrevo este texto com uma vontade especial! Para além de ter sido uma viagem que excedeu todas as expectativas, foi inacreditável o número de pessoas que me segue nas redes sociais e que me abordou com dúvidas e pedidos de informação. Vamos então até Lucerna? 😉

Há tanta coisa que vos quero contar sobre esta viagem… mas comecemos pelo princípio: porquê Lucerna? Escolhi esta cidade porque ando numa fase em que o que procuro numa viagem é a aventura de explorar o desconhecido e ser surpreendido. Claro que as principais capitais Europeias também são viagens super interessantes. Mas não são um desafio tão grande como uma cidade que fica rodeada de montanhas (agora com muiiita neve), a 436 metros de altitude e que tem apenas oitenta mil habitantes! Escolhi um destino turístico menos falado porque quero descobrir o que ainda não foi descoberto e também aproveitar para relaxar 🙂

A Suiça terá sempre um significado especial para mim porque tenho cá família, quer em Zurique quer em Berna. E por isso sempre quis vir… Mas confesso que não conhecia Lucerna, nem de ouvir falar. Até que, há uns tempos, deparei-me com uma fotografia que me deixou boquiaberto… e desde esse momento que não parei de pensar que tinha de cá vir. A imagem é de um jacuzzi que fica no Hotel Villa Honegg:

Mas não vou contar já a história incrível da minha ida a este jacuzzi… Proponho-vos antes um roteiro dos primeiros dias desta aventura por terras Suiças. ‘Bora?! 🙂

Dia 1

Aterrámos já ao final do dia. Estava frio, muito frio, como seria de esperar! Já tínhamos planeado que este dia seria o menos produtivo e por isso quisemos ficar a relaxar um pouco e aproveitar o conforto do Hotel. Ficámos no “Astoria” e não nos arrependemos nada! Localização central (10 minutos a pé da estação central de comboios), muito acolhedor e com um staff super atencioso. Ah, e tem um rooftop com uma vista muito bonita sobre a cidade e as montanhas que a rodeiam! Aconselhamos vivamente 😉

Dia 2

O Hotel é meeesmo muito confortável e por isso a manhã deste dia foi dedicada a carregar baterias para as aventuras que aí vinham! Às 13:00 saímos para ir sentir pela primeira vez a vida da cidade e almoçar. Gostámos logo da energia nas ruas: os Suíços revelaram-se uma agradável surpresa! E enquanto andávamos pelas ruas a fotografar, ainda tivemos a sorte de sentir o quão grande é o nosso país e o seu povo. Fomos abordados várias vezes na rua por portugueses que vivem cá e acompanham o nosso trabalho sobretudo na televisão. É sempre super gratificante sentir este carinho, acreditem! ☺

Depois de muitas fotografias e kilómetros a pé, já perto das 19:00, passámos pelo supermercado e voltamos ao hotel. Estava feito o dia.

Dia 3

Apesar de Lucerna ser uma cidade pequena, que se vê bem em dois dias (num ritmo intenso), eu e a Inês quisemos voltar a sentir-lhe a pulsação. Por isso, no início deste dia 3, voltámos a palmilhar todas as ruas que nos apareceram pela frente! Tudo aqui é bonito… e com neve ainda se torna mais especial. Parece que estamos num mundo à parte! Explorámos muito o centro histórico e adorámos alguns pontos chave:

A Igreja Franciscana, construída no longínquo século XIII e que é marcada pela sua simplicidade e a Igreja Jesuíta, que foi edificada já no século XVII e que, ao contrário da primeira, é dotada de uma ornamentação detalhista que a torna muito apelativa;

Ponte da Capela, um lugar que tem tanto de histórico como de bonito e que justificou todos os minutos que nele investimos. Foi construída em 1333 (sim, leram bem, mil trezentos e trinta e três…) e por isso é a ponte de madeira coberta mais antiga da Europa. Nunca vimos nada igual!

Antiga Farmácia – dizem os locais que este é um dos pontos preferidos dos turistas que por cá passam. E nós percebemos porquê! Entrar numa farmácia em que os medicamentos são apresentados ao público como eram antigamente é como entrar numa máquina do tempo ☺

Acabámos o dia, por fim, a visitar o KKL – Centro de Convenção e Cultura. Foi um bom twist depois de tanto monumento histórico! Este é o local onde fica provado que a cidade não quer viver apenas do passado. Aqui há espaço para mostrar a inovação cultural e tecnológica, assim como receber festivais de música e outras exposições contemporâneas e não só.

Dia 4

Ok, pode parecer estranho que tenhamos dedicado um dia inteiro a um museu. Mas acreditem, faz todo o sentido. O Museu dos Transportes é IN-CRÍ-VEL! Lá dentro existe tudo o que possam imaginar sobre todos os meios de transporte existentes, desde a bicicleta ao avião, passando pelo barco, comboio, helicóptero, entre muitos outros. Para além de dissecar os meios de transporte tem também algumas aventuras alternativas, como por exemplo o planetário e a aventura do chocolate – que consiste num percurso pela história do chocolate Suíço feito dentro de um carro especial, tipo montanha russa ☺

Dia 5

Começámos este dia com um passeio de barco no lago Lucerne. E fizemos muito bem. Foi o mote perfeito para um dia especial e que se viria a revelar surpreendente! Lembram-se da fotografia do jacuzzi, do Hotel Villa Honegg? Foi neste dia que decidimos lá ir…

Depois de um percurso feito de barco, outro de teleférico e de várias horas a caminhar, enquanto caía um nevão imparável (que em vários países bloqueou aeroportos e estradas), finalmente chegámos. E aquilo que viram na imagem lá em cima, na realidade estava muito diferente. A vista foi totalmente engolida pelo nevoeiro e nem a água quente me fez saltar lá para dentro 🙂

Apesar do azar com o tempo, foi uma aventura muito engraçada e fora do comum. É certo que não consegui ver ao vivo exactamente aquilo que tanto me cativou na fotografia inicial… mas estivemos cá e isso foi suficiente. Cumprimos o objectivo!

Dia 6

Depois de algumas conversas com o staff do Hotel em que ficámos e de algumas pesquisas, percebemos que não podíamos deixar de visitar o famoso “Leão de Lucerna”. Trata-se de uma escultura de grandes dimensões em que a figura central é um Leão. Foi esculpida em 1820 e o objectivo deste monumento é homenagear a guarda suíça que protegia a família real durante a dolorosa revolução francesa. Se tiverem menos dias do que nós tivemos para visitar a cidade não deixem de passar por aqui. É imponente ☺

A viagem não acabou aqui mas o resto fica no segredo dos Deuses! 😉 Deixo-vos ainda algumas dicas que podem ser preciosas:

– Tragam roupas verdadeiramente quentes, sobretudo se vierem nesta altura do ano;
– Este é o sítio certo para fazerem uma pausa na vossa dieta: literalmente todos os chocolates e queijos suíços que provamos eram deliciosos;
– Aconselho vivamente a Pizzeria La Baracca, um dos muitos restaurantes italianos em Lucerna e que nós gostámos muito;
– Se são fãs de Brunch como nós não deixem de ir ao Dr. Oetker Café Gugelhupf (!)

Espero que pelo menos durante este texto tenham viajado comigo. Prometo continuar a levar-vos sempre!

JM